“A participação é o futuro do marketing” (MCCONELL e HUBA, 2008, p. 131).

Entramos na era da colaboração e o marketing experimenta pela primeira vez não possuir o controle sobre o mercado e seus consumidores.

Tido como grande vilão da sustentabilidade, o marketing possui a fama de ser uma máquina de criação de desejos, desenvolvido exclusivamente para gerar valor no curto prazo para as empresas e seus acionistas. Mas o tema sustentabilidade não consegue mais ser ignorado pela indústria da comunicação e marketing.

“Colaboração e compartilhamento revolucionam o consumo” foi a capa da edição de aniversário do Jornal Meio & Mensagem (13 de abril de 2015, nº 1655), tradicional veículo da área da comunicação e marketing do Brasil. O editorial destacava que o aprimoramento tecnológico tornou a colaboração possível, mas o que realmente importa é a mudança do comportamento e nos hábitos do consumidor em âmbito global, onde a cultura de ostentação dá sinais de esgotamento e dá lugar a uma cultura de colaboração.

Kotler, Kartajaya e Setiawan (2010) defendem que a tecnologia está transformando o comportamento do consumidor para ser participativo e isso fez nascer o Marketing 3.0, baseado na colaboração e em valores.

Nas últimas décadas o marketing soube como nenhuma outra ferramenta produzir resultados para empresas. O futuro para o planeta, para os negócios e para as pessoas depende do desenvolvimento sustentável. E o marketing será o grande aliado da sustentabilidade, promoverá valores maiores para contribuir com a criação e manutenção de um modelo de negócio colaborativo e com visão de longo prazo.

TANTERIOR                                                  TPROXIMO